Cuidados no transporte de carga controlada. – Joanini

Cuidados no transporte de carga controlada.

  • Cuidados no transporte de carga controlada.

    Cuidados no transporte de carga controlada.

    Nós sabemos que, muitas vezes, a atividade logística traz riscos. Um deles se dá quando os materiais transportados são considerados perigosos. São considerados assim todos os produtos de origem química, biológica ou radiológica que são nocivos ao meio ambiente, à população e aos seus bens.

    Hoje a legislação aponta mais de 3 mil mercadorias que podem gerar riscos à saúde, à segurança pública e ao meio ambiente. Por isso é sempre importante estar atento ao que será transportado e à sua sinalização. Existem símbolos e placas que devem ser afixados nas embalagens e nos veículos que transportam materiais químicos. O painel de segurança é caracterizado por um quadrado na cor laranja que descreve o número de risco e o código ONU. Já o rótulo de risco é composto por um losango informando o símbolo de risco e a classe/subclasse de risco.

    Mas afinal, que riscos são estes? O modal rodoviário está sujeito a acidentes que podem danificar os recipientes e ocasionar o seu vazamento, trazendo risco imediato de explosões e incêndios. Se a substância não for inflamável, o perigo mais frequente é a intoxicação de pessoas. Além disso, estes materiais também representam ameaças para o meio ambiente, contaminando o solo, plantações e corpos de água. 

    Para evitar que isso aconteça, existem alguns cuidados que devem ser tomados no transporte desse tipo de carga: 

    Embalagem –  há embalagens próprias para o armazenamento e transporte de cargas perigosas. Elas devem identificar de forma clara as características da mercadoria, incluindo os seus respectivos símbolos e/ou marcações quanto aos riscos. Cada categoria demanda um tipo diferente de proteção e as embalagens devem ter cor e volume que as deixem facilmente visíveis, evitando a possibilidade de que alguém as manuseie de forma descuidada, por engano. Elas também precisam ser confeccionadas por materiais duradouros e resistentes, próprios para suportar as particularidades do produto contido.

    Circulação – os locais por onde os veículos podem circular também são limitados, protegendo regiões com população densa, reservatórios de água e reservas ecológicas. Para efeito de controle, o expedidor dos produtos é encarregado de informar aos órgãos fiscalizadores quais são as rotas adotadas no transporte rodoviário. Quando a rota completa para deslocamento for estabelecida, é interessante checar junto aos órgãos de trânsito de cada local se existem restrições ou normas estipuladas para o percurso.

    Uso de EPIs obrigatórios – o motorista não pode deixar de usar todos os Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) exigidos para cada tipo de carga, tanto na hora do transporte quanto na manipulação. Além de ele estar sempre seguro caso ocorra algum acidente, ele fica isento da multa que pode ser aplicada caso alguma norma não esteja sendo respeitada.

    Sinalização – as cargas perigosas devem circular com rótulo de risco e painéis de risco com o código da ONU. É preciso que estejam fixados em locais pré determinados para a identificação do produto em caso de acidente, facilitando operações de resgate e até mesmo na limpeza.

    Transporte de outros itens – no veículo em que as cargas perigosas são transportadas, não pode haver nenhum outro tipo de mercadoria. Além disso, enquanto o transporte desse tipo de carga for feito, desde que todos os passageiros possuam curso MOPP (Movimentação e Operação de Produtos Perigosos), permitida apenas a presença do condutor e seus auxiliares.

    Entender que tipo de carga você está transportando sempre vai ajudá-lo a deixar seu trabalho mais seguro e preciso, além de evitar possíveis problemas para a transportadora, pelo desrespeito de alguma norma ou lei.

    Comments are closed.